O que é a Maçonaria?

 

A Maçonaria ou Francomaçonaria é uma Ordem Universal formada de homens (e mulheres, em algumas potências, como é o caso da Soberana Grande Loja Maçônica do Brasil) de todas as raças, credos e nacionalidades, acolhidos por suas qualidades morais e intelectuais e reunidos com a finalidade de construírem uma Sociedade Humana, fundada no Amor Fraternal, na esperança com amor à Deus, à Pátria, à Família e ao Próximo, com Tolerância, Virtude e Sabedoria e com a constante investigação da Verdade e sob a tríade LIBERDADE, IGUALDADE E FRATERNIDADE, dentro dos princípios da Ordem, da Razão e da Justiça, o mundo alcance a Felicidade Geral e a Paz Universal.

 

Quais são os seus princípios?

 

A liberdade do indivíduo e dos grupos humanos sejam eles instituições, raças e nações; a igualdade de direitos e obrigações dos seres e grupos sem distinguir a religião, raça ou nacionalidade; a fraternidade de todos os seres humanos, já que somos todos filhos do mesmo CRIADOR. E, portanto, humanos e como conseqüência, a fraternidade entre todas as nações.

 

Qual é o seu lema?

 

São vários, geralmente em tríades, como: Fé, Esperança e Caridade; Igualdade, Liberdade e Fraternidade; Sabedoria, Força e Estabilidade; Ciência, Justiça e Trabalho.

A Francomaçonaria trabalha para o melhoramento intelectual, moral e social da humanidade.

 

Qual é o seu objetivo?

 

Seu objetivo é a investigação da verdade, o exame da moral, a prática das virtudes, a aplicação da justiça e o exercício do perdão.

 

Por que é Filosófica?

 

É filosófica porque em seus atos e cerimônias ela trata da essência, propriedades e efeitos das causas naturais. Investiga as leis da natureza e relaciona as primeiras bases da moral e da ética pura.

 

Por que é Filantrópica?

 

É filantrópica porque não está constituída para obter lucro pessoal de nenhuma classe. Suas arrecadações e seus recursos se destinam ao bem estar do gênero humano, sem distinção de nacionalidade, sexo, religião ou raça. Procura conseguir a felicidade dos seres humanos por meio da elevação espiritual e pela tranqüilidade da consciência, primando primeiramente pelos seus membros, por conseguinte aos demais necessitados.

 

Por que é Progressista?

 

É progressista porque partindo do princípio da imortalidade e da crença em um princípio criador regular e infinito, não se aferra a dogmas, prevenções ou superstições. E não põe nenhum obstáculo dos seres humanos na busca da verdade, nem reconhece outro limite nessa busca senão a da razão com base na ciência.

 

O que entende a Francomaçonaria por moral?

 

Moral é, para a Francomaçonaria, uma ciência com base no entendimento humano. É a lei natural e universal que rege todos os seres racionais e livres. É a demonstração científica da consciência. E essa maravilhosa ciência nos ensina nossos deveres e a razão do uso dos nossos direitos. Ao penetrar a moral no mais profundo da nossa alma sentimos o triunfo da verdade e da justiça.

 

O que entende a Francomaçonaria por virtude?

 

A virtude é a força de fazer o bem em seu mais amplo sentido; é o cumprimento de nossos deveres para com a sociedade e para com a nossa família sem interesse pessoal. Em resumo: a virtude não retrocede nem ante ao sacrifício e nem mesmo ante à morte, quando se trata do cumprimento do dever.

 

O que entende a Francomaçonaria por dever?

 

O respeito e os direitos dos indivíduos e da sociedade. Porém não basta respeitar a propriedade apenas, também devemos proteger e servir os nossos semelhantes. A Francomaçonaria resume o dever do homem e da mulher assim: Respeitar a Deus, amar ao próximo e dedicar-se à família. Em verdade, essa é a maior síntese da fraternidade universal.

 

A Francomaçonaria é religiosa?

 

Sim, é religiosa, porque reconhece a existência de um único princípio criador, regulador, absoluto, supremo e infinito ao qual se dá o nome de GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO, porque é uma entidade espiritualista em contraposição ao predomínio do materialismo. Estes fatores são essenciais e indispensáveis para a interpretação verdadeiramente religiosa e lógica do universo, formam a base de sustentação e as grandes diretrizes de toda ideologia e atividade maçônica universal.

 

A Francoaçonaria é uma religião?

 

Não. A Francomaçonaria não é uma religião. É uma sociedade que tem por objetivo unir os homens e mulheres entre si. União recíproca, no sentido mais amplo e elevado do termo. E, neste seu esforço de união dos homens e mulheres, admite em seu seio as pessoas de todos os credos religiosos sem nenhuma distinção.

 

Para ser maçom é necessário renunciar à religião a qual se pertence?

 

Não, porque a Francomaçonaria abriga em seu seio homens e mulheres de qualquer religião, desde que acreditem em um só criador, o Grande Arquiteto do Universo, que é Deus. Geralmente existe essa crença entre católicos, mas ilustres prelados têm pertencido à Ordem Maçônica; entre outros, o Cura Hidalgo, Paladino da Liberdade Mexicana; o Padre Calvo, fundador da Maçonaria na América Central; o Arcebispo da Venezuela, Don Ramon Ignácio Mendez; Padre Diogo Antonio Feijó; Cônegos Luiz Vieira, José da Silva de Oliveira Rolin, da Inconfidência Mineira, Frei Miguelino, Ganganelli (Joaquim Saldanha Marinho), Frei Caneca e muitos outros. Nos Estados Unidos, é raro um dirigente evangélico que não seja Maçom.

 

Quais outros homens ilustres que foram Maçons?

 

Filósofos como Voltaire, Goethe e Lesing; Músicos como Beethoven, Haydn e Mozart; Militares como Frederico o Grande, Napoleão e Giuseppe Garibaldi, Luigir Rosseti, Tito Lívio Zambbecare, Lafayette, Benso D’Cavour; Poetas como Byron, Lamartine e Hugo; Escritores como Gastellar, Mazzini e Espling, etc.

 

Somente na Europa houve maçons ilustres?

 

Não. Também na América houve: Os libertadores da América foram todos Maçons: Washington, nos Estados Unidos; Miranda, o Padre da liberdade sul-americana; San Martin e O’Higgins, na Argentina; Bolívar, no Norte da América do Sul; Martí, em Cuba; Benito Juarez, no México e o Imperador D. Pedro I, no Brasil,  além de José Bonifácio, Joaquim do Lêdo entre outros.

 

Quais os nomes de destaque no Brasil que foram maçons?

 

D. Pedro I, José Bonifácio, Joaquim Gonçalves Lêdo, Luís Alves de Lima e Silva (Duque de Caxias), Deodoro da Fonseca, Floriano Peixoto, Prudente de Morais, Campos Salles, Wenceslau Braz, Washington Luiz, Rui Barbosa, Almirante Tamandaré, Gal. Bento Gonçalves, Tiradentes, e muitos outros.

 

Então a Francomaçonaria é tolerante?

 

A Francomaçonaria é eminentemente tolerante e exige dos seus membros a mais ampla tolerância. Respeita as opiniões políticas e crenças religiosas de todos os homens e mulheres, reconhecendo que todos os seres humanos, reconhecendo que todas as religiões e ideais políticos são igualmente respeitáveis e rechaça toda pretensão de outorgar situações de privilégio a qualquer uma delas em particular.

 

O que a Francomaçonaria combate?

 

A ignorância, a superstição, o fanatismo. O orgulho, a intemperança, o vício, a discórdia, a dominação e os privilégios indevidos, a corrupção, os desmandos, a tortura, e a impunidade, o  preconceito, a discriminação social e racial, o despotismo, a soberba, o perjuro e o traidor.

 

A Francomaçonaria é uma sociedade secreta?

 

Não, pela simples razão de que sua existência é amplamente conhecida. As autoridades de vários países lhe concedem personalidade jurídica. Seus fins são amplamente difundidos em dicionários, enciclopédias, livros de histórias, etc. Sim, o único segredo que existe e não se conhece senão por meio do ingresso na instituição, são os meios para se reconhecer os maçons carbonários entre si, em qualquer parte do mundo e o modo de interpretar seus símbolos e os ensinamentos neles contidos. Contudo, mantém uma característica secretíssima de forma a não permitir a propaganda, a pompa e a divulgação por qualquer meio não autorizado de material sobre o conteúdo da ordem, especialmente o seu manancial.

 

Quais as principais obras da Francomaçonaria no Brasil?

 

Através do Apostolado dos Nobres Cavaleiros de Santa Cruz – Antiga Ordem Maçônica Florestal, deu-se origem por força de uma cisão, ao Grande Oriente Brazílico, que cindindo novamente, deu origem ao Grande Oriente do Brasil, todos, empenharam-se na conquista da Independência, a Abolição da Escravatura, a Proclamação da República, a Separação entre Estado e Igreja, Revolução Farroupilha, entre outros,  isto para citar somente os cinco maiores feitos da nossa história, em que a Francomaçonaria tomou parte ativa.

 

Qual a intenção da Francomaçonaria na separação entre o Estado e a Igreja?

 

Proporcionou-se com esta decisão a liberdade religiosa tão necessária a humanidade. A partir de então nenhum grupo religioso outorgou-se no direito de impor seus dogmas como únicos. Os concorrentes que quando teimavam em reunir-se eram impedidos pela ação truculenta em cumprimento da “lei”, conquistaram autonomia religiosa podendo então fundar e dar constituição jurídica as suas comunidades religiosas, amparados na Carta-Magna, nossa constituição, e passaram a poder confirmar suas uniões conjugais de acordo com suas convicções "sem ter que mentir para o padre!"

 

Quais as condições individuais indispensáveis para poder pertencer à Francomaçonaria?

 

Crer na existência de um princípio Criador; ser livre e de bons costumes; ser consciente de seus deveres para com a Pátria, seus semelhantes e consigo mesmo; ter uma profissão ou ofício lícito e honrado que lhe permita prover as suas necessidades pessoais e de sua família e a sustentação das obras da Instituição. Ser um homem ou mulher de coragem comprovada e sujeitar-se às ordens emanadas de seus Superiores Maçons, sem discutir e sem exitar. Tomar posição política (não partidária), em benefício do povo e para o povo.

 

O que se exige dos Franco-Maçons?

 

Em princípio, tudo aquilo que se exige ao ingresso em qualquer outra instituição; patriotismo; respeito aos seus estatutos, regulamentos e acatamento às resoluções da maioria, tomadas de acordo com os princípios que as regem; respeito aos governos legalmente constituídos; acatamento às leis do país em que viva, etc.

E em particular: a guarda do sigilo dos rituais maçônicos; conduta correta e digna dentro e fora da Francomaçonaria; a dedicação de parte do seu tempo para participar das reuniões; a prática da moral, da igualdade e da solidariedade humana, e da justiça em toda a sua plenitude.

Ademais, proíbe-se terminantemente dentro da instituição, as discussões político-partidárias e religioso-sectárias, sem que estejam inscritas previamente para exposição,  porque prefere uma ampla base de entendimento entre os homens e mulheres a fim de evitar que sejam divididos por pequenas questões da vida civil.

 

O que é Loja e o que é um Templo Maçônico?

 

Loja são os maçons reunidos e Templo é lugar onde se reúnem os maçons periodicamente para praticar as cerimônias ritualísticas que lhes são permitidas, em um ambiente fraternal e propício para concentrar sua atenção e esforços para melhorar seu caráter, sua vida espiritual e desenvolver seu sentimento de responsabilidade, fazendo-lhes meditar sobre a missão do homem na vida, recordando-lhes constantemente os valores eternos cujo cultivo lhes possibilitará acercar-se da verdade.

 

O que obtém sendo Maçom?

 

A possibilidade de aperfeiçoar-se, de instruir-se, de disciplinar-se, de conviver com pessoas que, por suas palavras, por suas obras, podem constituir-se em exemplos; encontrar afetos fraternais, em qualquer lugar em que se esteja, dentro ou fora do país. Finalmente, a enorme satisfação de haver contribuído, mesmo em pequena parcela, para a obra moral e grandiosa levada a efeito pelos homens. A Francomaçonaria não considera possível o progresso senão na base de respeito à personalidade, à justiça social e a mais estreita solidariedade entre os homens e mulheres. Ostenta o seu lema Liberdade, Igualdade e Fraternidade com a abstenção das bandeiras políticas e religiosas. O segredo maçônico, que de má fé e caluniosamente tem se servido os seus inimigos para fazê-la suspeita entre os espíritos cândidos ou em decadência, não é um dogma senão um procedimento. Uma garantia, uma defesa necessária e legítima, porém como inevitavelmente tem sucedido com todo direito e seu dever correlativo, o preceito das reservas maçônicas já tem experimentado sua evolução nos tempos e segundo os países. A Maçonaria não tem preconceito de poderes, e nem admite em seu seio, pessoas que não tenham um mínimo de cultura que lhes permitam praticar os seus sentimentos e tenham uma profissão ou renda com que possam atender às necessidades dos seus familiares, fazer face às despesas da sociedade e socorros aos necessitados.

 

Quais os maiores perseguidores da Francomaçonaria?

 

Os inquisidores jesuítas, que confiscaram seus bens, supliciaram e mandaram para a fogueira um número assombroso de Maçons. Hitler, Mussolini, Franco, Salazar, Stalin: tornaram-na ilegal e perseguiram seus membros da maneira mais infamante possível. Os governos totalitários anti-democratas e as Instituições Religiosas Dogmáticas, sem exceção, são inimigos da Francomaçonaria. Você seria um deles?

 

Por que sou Franco-Maçom?

 

Porque sou homem corajoso, livre e de bons costumes; porque me subjuga o amor; porque me absorve a beleza, porque me emociona a liberdade, porque vou atrás da justiça e aspiro a felicidade da Humanidade. E a satisfação de tão elevados ideais só se encontra no seio da Francomaçonaria, que é a síntese da vida! Nada escapa a ela.

Para viver, necessita a seiva do Progresso que recolhe das profundezas, que vem de muito longe e que se manifesta na flor do pensamento, no desejo da ação, nas entranhas da evolução, nas fulgurações do ideal, nas realizações da vontade coletiva. Por isso é a única Instituição que pode e tem podido viver através dos séculos, das paixões e das tragédias humanas.

Sua moral não é uma moral, é a de cada povo, a de cada tempo, de cada civilização, de cada cultura. Graças a isto não estamos ligados a uma época, nem a uma religião, nem a uma norma determinada. Combatemos o mal como o entende a maioria de cada meio; nascemos do bem como o bem se entende no momento e no núcleo em que se atua. Por isso estamos sempre em atitude evolucionista e de seguir ascendendo por meio de uma rotação constante que nos levará à perfeição. Por isso nossa obra é renovação constante. Não temos o direito de nos deter diante do tempo e do espaço. Por isso seremos eternos e por tudo nossa atitude tem sido e será de combate. Novos Quixotes, somos cavaleiros andantes; nosso caminho é o mundo, quiçá o do universo quando o universo for conhecido.

Os que se sentam para enxugar o suor na metade do caminho, fatigados da empreita e da jornada, não são maçons, são como os que sucumbem em pleno movimento e desertam da batalha.

A Francomaçonaria,  não é nem pode ser uma religião; se o fora, sua missão estaria terminada e nós não estaríamos aqui; pelo contrário, é uma Revolução; uma Revolução constante, vigorosa, enérgica; Revolução de idéias, despojada e altruística. Rompe com todo o passado que se opõem ao porvir. Sua obra e seu pensamento são do presente e do amanhã. As religiões não nos importam a não ser pelo respeito que merecem sempre que estão isentas de fanatismo; daí nossa tolerância que nos permite admitir em nosso seio todos os homens e mulheres, qualquer que seja sua crença.

O Grande Arquiteto do Universo não é senão uma fórmula, quase um símbolo, quase uma frase. Uma idéia para que cada um a aproveite na medida de sua inteligência, de sua concepção deísta ou puramente literária ou intuitiva; por isso não o definimos. Tanto é assim, que o Grande Arquiteto do Universo pode ser uma idéia, um princípio; para uns a Revolução; para outros a evolução; para todos a encarnação do próprio pensamento de cada um, sem forma nem figura, sem culto nem adoração, sem amor nem temor, sem esperança nem desilusão. É tão somente uma idéia que cada um pode harmonizar com a sua própria; desintegra-la em seu materialismo ou enaltece-la em sua espiritualidade; fortalece-la para confortar-se ou estimulá-la em uma fantasia que pode ser raio de luz, perfume, poesia, grão ou nada.

No que indubitavelmente se constitui a Francomaçonaria é em um laboratório de química, de física, de biologia, de astronomia. É um horto florestal, onde se prepara as mudas das árvores que serão plantadas na Floresta da Vida.  De moral de virtude, de bondade? De tudo! Por isso dizemos que é a síntese da vida; uma escola constante de ensinamentos, investiga porque duvida; se agiganta no combate porque sua missão é dispersar tudo o que se opõe ao progresso, desde a ignorância até o fanatismo, desde a fraqueza até a inocência. Por isso é uma fonte de caráter e de energia; de vitalidade e de renovação. Se assim não fosse não seria Francomaçonaria. É uma sociedade discreta e com segredos? Isto está claro! Mas a Francomaçonaria não é só o conhecimento de símbolos, liturgias e de meios de conhecimento. Isto só interessa aos maçons, não interessa à humanidade; o que a esta preocupa é o aproveitamento, o rendimento em forma de verdade, em felicidade, que proporcionamos com nossa atuação. O trabalho que desenvolvemos se torna infecundo por falta de conhecimento da Francomaçonaria. O que nós necessitamos é nos fazermos conhecer pelo bem que desenvolvemos, é o bem para a humanidade inteira; bem de liberdade, de cultura, de ensinamento, de virtude, de sacrifício, de educação, de caráter, de energia, de saudável fraternidade e bem estar social.

Como? Integrando ao nosso meio os lutadores e revolucionários pelos altos ideais da humanidade; carne feita ação, pensamento, progresso. É o resultado de quão nobre, generoso e grande pode encerrar a aspiração de um homem e de uma mulher.

Braço, coração e cérebro. Altura da mais alta argamassa que une as rochas; Altura do mais imponente tronco de Árvore que dá a construção e proteção, a lenha que nos aquece no inverno,  pesquisa o futuro fortalecendo o presente. Em suma, madeira da melhor qualidade, rocha da maior dureza, sóis que dão luz e calor; energia, irradiação constante e, ao final, a apoteose que ao abrir seu leque de luz como uma sonhada fantasia de auroras, surja o homem imortal para a imortalidade de sua sabedoria, da imaginação criadora, do caráter de uma apostólica bondade na realização da felicidade do homem,  para o bem estar da humanidade.